Como avaliar uma editora de autopublicação?

Como escolher uma editora de autopublicação

Entenda quais devem ser os critérios para escolher uma editora antes de assinar o contrato

 Uma editora de autopublicação é aquela parceira que você pagará para publicar seu livro. Então é essencial que, quando você buscar essas parcerias, analise as propostas individuais de cada editora, para saber o que podem fazer por você e sua obra. Quais são os prós e contras de cada uma. Minha dica é: faça uma lista e marque as que você acredita que são mais interessantes, para depois fazer a seleção da parceira.

1.      Capas

Analise as capas que são produzidas pela editora, a qualidade do material. São capas atrativas aos olhos dos leitores, possuem criatividade, atendem ao perfil da sua obra? Muitas editoras são nichadas. Não adianta procurar uma editora de autopublicação que produz terror para publicar seu romance. O catálogo dela é para um público diferente do seu.

2.      Impressão

Peça para a editora enviar alguns exemplares para você analisar a qualidade da impressão. Passear pela livraria também pode ser interessante para descobrir sobre isso. Folheie os livros, olhe a diagramação para ver se está no padrão que você busca para sua obra. Percebe como é o acabamento da obra.

Muitas editoras enviam para gráficas mais baratas para reduzir custos e no fim perde-se a qualidade na impressão. Esse é o resultado que o seu leitor vai ter em mãos, então é de extrema importância que agrade aos olhos dele para que possa indicar seu livro para amigos e familiares. Melhor é ter certezas do que decepções, não é mesmo?

3.      Revisão

Dedique-se a ler pelo menos uma obra que foi publicada pelas editoras que você estuda contratar. Avalie a qualidade da revisão. Na agência, chamo essa parte de inspeção, em que se passa o pente fino da obra para corrigir erros gramaticais e ortográficos.

4.      Google

Pesquise sobre a editora no Google, descubra se há críticas no Reclame Aqui, quais são as principais queixas. Conheça a empresa antes de assinar contrato. Melhor é saber antecipadamente o que esperar do que ser pego de surpresa. Analise a comunicação dela em seu próprio site, visite o catálogo, investigue se disponibiliza as obras na Amazon, siga nas redes sociais para saber como é o marketing das obras.

5.      Busque indicações

Se você chegar através de uma indicação à alguma editora, isso certamente já é um voto positivo, mas não elimina as outras etapas de pesquisa. Se puder, converse com outros autores que publicaram seus livros com a editora em questão e descubra os pormenores de quem já está na casa por mais tempo.

6.      Promessas

Analise de cabeça fria as promessas da editora de autopublicação. Sei que muitas delas falam que colocarão sua obra em diversas plataformas e livrarias do Brasil. Mas você sabia que para distribuir o livro em território nacional é preciso de uma tiragem de pelo menos 10 mil exemplares? Pois é! Como seu livro vai estar em todas as livrarias físicas do Brasil sem uma quantidade razoável de tiragem?

Cuide com as promessas. Se a editora diz que só divulga em seu próprio site e na Amazon, tudo bem! Pelo menos é real, palpável e você está ciente do que ela te promete para que depois você não se decepcione e nem se frustre.

7. Royalties

Saiba como ficará a divisão dos royalties tanto para livros físicos quanto e-books. Analise essa questão antes de assinar o contrato. Consulte a editora para saber se os direitos autorais do e-book serão repassados diretamente a você. Qual o percentual que você receberá nas vendas? E quais as plataformas que seu e-book ficará disponível? Peça que esteja em contrato as livrarias físicas que a editora prometeu colocar seu livro físico. Se o seu livro não for para as lojas, tudo bem. Muitas só têm abertura para estar nos sites das grandes livrarias. Procure saber para não ser surpreendido. Infelizmente muitos prometem o que não conseguem cumprir depois. É seu direito saber para ter a liberdade de escolha, para que depois possa fazer uma estratégia de marketing mais assertiva.

8. Consulte um advogado

Como todo processo de contratação, este envolve a assinatura de um contrato. Se você chegou até aqui é porque as outras questões estão bem alinhadas. Mas, antes de sua assinatura, solicite a minuta do contrato para pedir ao seu advogado de confiança uma análise para que seus direitos sejam garantidos.